Fechar imagem

Notícias

Mais lidas

  • Entidades se manifestam sobre o trabalho do Banco Municipal de Alimentos
  • Banco de Alimentos de Formiga é destaque em revista de circulação nacional
  • Prefeitura apresenta projeto para solucionar problema ambiental no Água Vermelha
  • Prefeitura esclarece sobre Programa de Aquisição de Alimentos
  • Prefeitura lança processo seletivo para farmacêutico e agente comunitário de saúde
  • Prefeitura inicia plantio de grama no Parquinho da Rodoviária

18/05/2018 13h43

Prefeitura faz pesquisa sobre qualidade da merenda escolar em Formiga

3.051 alunos da Rede Municipal de Ensino participaram do estudo e 87,46% deles avaliaram como ótima a refeição nas escolas

Prefeitura faz pesquisa sobre qualidade da merenda escolar em Formiga

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esportes, realizou, em março deste ano, uma pesquisa sobre a qualidade da merenda escolar com os alunos matriculados nos ensinos fundamentais I e II das escolas municipais de Formiga. Dos 3.399 alunos matriculados, 3.051 participaram do estudo, o que equivale a 89,76% deles.

Os estudantes responderam a um questionário com cinco perguntas: “Quantos dias da semana você merenda na escola?”, “Qual cardápio mais gosta?”, “São oferecidas frutas e verduras?”, “Como você avalia a merenda da escolar?” e “O que deve ser melhorado na merenda?”.

Em relação à avaliação da merenda escolar, 87,46% dos alunos afirmaram que a refeição é ótima/boa contra 12,53% que a consideraram ruim/péssima. Sobre a quantidade de dias que eles merendam na escola, 63,50% disseram que se alimentam de 3 a 5 dias por semana, e 36,49% merendam de 0 a 2 dias por semana. Referente ao fornecimento de frutas e verduras, 92,10% marcaram no questionário “sim” e 7,89% “não”.

Os alimentos dos cardápios que os alunos mais gostam são: bolos, pães de queijo, broinha, biscoitos, galinhada, arroz, feijão, tropeiro, carne com mandioca, carne moída com batata, frango assado, macarronada, macarrão na chapa, legumes cozidos (batata, chuchu, couve, inhame, abóbora, mandioca), salada de verduras (cenoura, beterraba, repolho, alface e tomate), frutas (melancia, mamão, maçã, banana, laranja), sucos naturais (laranja, limão, maracujá, goiaba, acerola) e leite com achocolatado.

Sobre o que pode ser melhorado na merenda da escola, os alunos gostariam que servissem frutas (kiwi, morango, uva, cereja, pêra, nectarina, abacaxi, goiaba, manga), suco de morango, pastel, panqueca, pizza, sanduíche, cachorro-quente, lasanha, salsicha, peixes, frutos do mar, bife, batata frita, bolos com cobertura, bolacha recheada, refrigerantes, nutella, sorvetes, picolés, milk shake e sobremesas em geral.

O trabalho nas escolas

A presença de nutricionistas habilitados no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar é uma das garantias de manutenção da qualidade das refeições. Há oito anos, somente uma nutricionista era responsável por desenvolver todo o trabalho na Rede Municipal de Ensino. Agora, isso mudou. A atual gestão, com a preocupação de desenvolver melhorias no serviço de Nutrição, aumentou o quadro técnico com a contratação de mais uma profissional, o que tem possibilitado o desenvolvimento de mais ações educativas e o acompanhamento efetivo dos serviços com maior número de visitas mensais às escolas. As nutricionistas são Renata da Cunha e Edna Paim.

De acordo com o secretário municipal de Educação e Esportes, Cid Corrêa, a atual gestão está trabalhando para melhorar cada vez mais a qualidade da alimentação oferecida aos alunos das instituições municipais. “Em Formiga, são atendidos aproximadamente 5.300 alunos, distribuídos nas etapas Educação Infantil - Creche e Pré-Escola; Ensino Fundamental; Atendimento Educacional Especializado e Educação de Jovens e Adultos. Os estudantes de período parcial recebem duas refeições ao dia e os que permanecem na escola em tempo integral recebem de três a quatro, durante os 200 dias letivos. Os cardápios são nutricionalmente balanceados e adequados às faixas etárias, respeitando os hábitos alimentares e a cultura alimentar regional. A alimentação é diversificada, saborosa e nutritiva. São oferecidos diariamente frutas, verduras, legumes, carnes, bolos, pães de queijo, pães, biscoitos, leite, sucos naturais. Toda alimentação é preparada por serventes que passam por cursos semestrais de capacitação. Em 2018, já foram realizados dois cursos, prático e teórico.”

Cid Corrêa ressaltou que, para garantir a Segurança Alimentar e Nutricional, são necessárias diversas ações, entre as quais se destacam: a realização do diagnóstico e acompanhamento do estado nutricional dos escolares; identificação e assistência a escolares com necessidades alimentares específicas, como diabetes e intolerâncias alimentares diversas; ações de educação alimentar e nutricional, como palestras para alunos, pais e responsáveis, educadores, material informativo e atividades que perpassam o currículo escolar; elaboração de cardápios e fichas técnicas de preparação; visitas técnicas periódicas às escolas para acompanhar e orientar sobre a correta manipulação dos alimentos, a higiene dos alimentos, o cumprimento dos cardápios e garantir o acesso ao alimento de qualidade e em quantidade suficiente aos alunos; realização de cursos de manipulação de alimentos e curso prático de receitas para os serventes escolares; verificação da aceitação dos cardápios através de testes de aceitabilidade e pesquisas de opinião com alunos; assessoramento do CAE – Conselho de Alimentação Escolar.

De acordo com a nutricionista Renata da Cunha, os cardápios são nutricionalmente adequados e balanceados e todos os alunos têm direito de repetição, portanto, são servidos em quantidades adequadas. “As serventes escolares passam por treinamento e são orientadas a preparar os alimentos da forma mais adequada e saudável possível, com quantidades reduzidas de sal, açúcar e óleo. Alguns dos alimentos citados pelos alunos, como pastel, cachorro-quente, refrigerantes, salgados, picolés e sorvetes não são permitidos na alimentação escolar, porém na época de festividades, como Semana da Criança e encerramento do Ano letivo, estes alimentos podem ser servidos.”

Já a nutricionista Edna Paim afirma que a alimentação escolar contribui para o crescimento e o desenvolvimento biopsicossocial, a aprendizagem, o rendimento escolar e a formação de hábitos saudáveis dos alunos e comunidade escolar, por meio de ações de educação alimentar e nutricional e da oferta de refeições que cubram as necessidades nutricionais durante o período em que permanecem na escola.

Compartilhe

 
Prefeitura Municipal de Formiga