Fechar imagem

Notícias

  • Cidadão

Mais lidas

  • Administração Municipal lamenta falecimentos da secretária de Saúde e do motorista em acidente na MG-050
  • Banco de Alimentos já doou mais de 94 mil quilos de alimentos neste ano
  • Comunidade do Cidade Nova faz primeira colheita de verduras na unidade III do Horta Urbana
  • Definida programação de reinauguração do Parque Municipal Dr. Leopoldo Corrêa
  • Prefeito participa de reunião com governador eleito Romeu Zema
  • 22 empresas participam de licitação da Administração Municipal

27/04/2018 06h03

Prefeitura oferece aulas no órgão de tubos da Matriz São Vicente Férrer

Instrumento é o quinto maior do Brasil e completa 81 anos em 2018

Prefeitura oferece aulas no órgão de tubos da Matriz São Vicente Férrer
A aluna Amanda Clara Moniz Carvalho durante aula com a professora Eliana Lima

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e em parceria com a Paróquia São Vicente Férrer, está desde o início deste ano promovendo um feito inédito em Formiga: oferecendo aulas no órgão de tubos da Matriz. O instrumento é o quinto maior do Brasil e fica em um lugar denominado Coro na igreja. Neste ano, completa 81 anos.

Cerca de dez alunos, já com experiência em instrumento de teclas (piano ou teclado), participam das aulas, que são ministradas pela professora formiguense Eliana Lima. Elas ocorrem toda quinta-feira e ontem, dia 26 de abril, a estudante Amanda Clara Moniz Carvalho recebeu as orientações da professora Eliana.

O secretário municipal de Cultura, Alex Arouca, ressaltou a importância da iniciativa. “Atualmente, poucos formiguenses tocam o órgão de tubos da Matriz. Ensinar outros formiguenses a tocá-lo é uma grande satisfação para a cidade. Iremos propagar um conhecimento até então limitado. Esse órgão não é fácil de ser manuseado e tem um valor muito grande para a história de Formiga.”

O órgão de tubos

O órgão foi instalado na Igreja Matriz São Vicente Férrer em 1937, tendo sido especialmente produzido para o templo em uma iniciativa do pároco local, padre Remaclo Fóxius, e do imigrante austríaco residente em Formiga, Franz Stangelberg. Este era sobrinho-neto do compositor Franz Schubert e lecionava matemática em Formiga, tendo sido o principal organista do instrumento até o fim da vida dele. Os construtores foram os alemães Karl EgonMohrle e Gustav Weissenrider, que trabalharam na conceituada fábrica de órgãos alemã E. F. Walcker&Co., de Ludwigsburg e Wurrtemberg, fundada em 1780. Os dois foram enviados ao Brasil em 1930, pela empresa Walcker para montagem do órgão do Convento de Santo Antônio, do Rio de Janeiro. A partir de então, Karl EgonMohrle, conhecido no Brasil como Carlos Mohrle, construiu e reformou diversos órgãos no país até o final da década de 1950.

Por meio de Lei Municipal, o órgão foi instituído patrimônio histórico de Formiga em 2004, sendo no mesmo ano tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA).

Compartilhe

 
Prefeitura Municipal de Formiga