Fechar imagem

Notícias

Mais lidas

  • Prefeitura fiscaliza retirada irregular de água acima da barragem de captação
  • Aprovada nova estrutura administrativa da Prefeitura
  • Formiga volta a fazer parte do Mapa do Turismo Brasileiro
  • Empresa inicia manutenção da iluminação pública
  • Cadastro Único Itinerante irá à comunidade de Boa Esperança
  • Servidores da Gestão Ambiental fazem limpeza no entorno da caixa d’água do Alvorada

29/03/2017 14h55

Peça ‘Auto da Compadecida’ é encenada em Formiga

Apresentação foi promovida pela Secretaria de Cultura e pela Casa da Divina Misericórdia

Peça ‘Auto da Compadecida’ é encenada em Formiga

A encenação da peça teatral “Auto da Compadecida”, feita pela RC2 Teatro Escola de BH, foi sucesso em Formiga, A apresentação ocorreu na noite de sábado, 25 de março, no Teatro Padre Aurélio Pereira.

Foram momentos marcantes e de muita alegria para a comunidade formiguense, que lotou o auditório prestigiando a peça. O evento foi uma parceria da Prefeitura de Formiga, através da Secretaria de Cultura, com a Casa da Divina Misericórdia, que realiza trabalhos de recuperação de dependentes químicos. Toda a renda foi revertida à entidade.

“Foi uma noite glamorosa. Os atores levaram a plateia ao delírio e deixaram marcas do bom-humor, da alegria e valorização de uma vida mais leve e simplificada”, definiu o secretário de Cultura, Aluísio Veloso.

“Poucas cidades tem um teatro assim, parabéns Formiga”, disse o diretor da peça Gilberto Heimat, ao agradecer a Secretaria de Cultura e todos os seus parceiros pelo convite.

A peça

“Auto da Compadecida” é uma peça teatral em forma de auto, em três atos, escrita em 1955 pelo autor brasileiro Ariano Suassuna.

Sua primeira encenação foi em 1956, em Recife, Pernambuco. Posteriormente, houve nova encenação em 1974, com direção de João Cândido.

É um drama do Nordeste do Brasil.

Insere elementos da tradição da literatura de cordel, de gênero comédia, apresenta traços do barroco católico brasileiro, mistura cultura popular e tradição religiosa.

Apresenta na escrita traços de linguagem oral por demonstrar na fala do personagem sua classe social, apresenta também regionalismos pelo fato de a história se passar no nordeste e o autor ter nascido lá.

Esta peça projetou Suassuna em todo o país e foi considerada, em 1962, por Sábato Magaldi "o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

Compartilhe

 
Prefeitura Municipal de Formiga