Fechar imagem

Notícias

Mais lidas

  • Cineasta apresenta ao prefeito projeto para gravar filme em Formiga
  • Na sexta-feira, serviços municipais voltarão a ser oferecidos normalmente às 13 horas
  • Semana da Saúde no IFMG começa hoje
  • Servidores municipais serão liberados para participarem de manifestação na próxima sexta-feira
  • Lei de incentivo a novos empreendimentos é reformulada e enviada à Câmara
  • Definida programação da 52ª Expo Formiga

21/12/2016 11h53

Prefeitura irá inaugurar mais uma obra

Obra ganhará o nome do saudoso radialista Landico

Prefeitura irá inaugurar mais uma obra

Será inaugurada na próxima terça-feira, dia 27 de dezembro, às 19h, mais uma importante obra: a Praça do CEUs (Centro de Artes e Esportes Unificados), localizada no bairro Novo Horizonte.

A obra do CEUs teve início em 2012 e foi implantada com recursos do Orçamento Geral da União (OGU), na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). A obra ficou paralisada por um período, sendo retomada pelo atual prefeito Dr. Eduardo Brás depois de assumir a Prefeitura em setembro.

A Praça do CEUs é uma obra pública estruturada para integrar atividades e serviços culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital.

Diversas construções integram o local, tais como: sala de cinema de 60 lugares, telecentro, biblioteca, salas multiuso e Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), pista de skate, jogos de mesa, espaço criança, quadra coberta, equipamentos de ginástica, kit básico esportivo e pista de caminhada.

Foram investidos mais de R$2 milhões nesta obra significativa que irá beneficiar todos os moradores daquela região e levará o nome do conhecido e saudoso radialista Aureliano Landico Pinto (Landico - O Homem da Latinha).

QUEM FOI LANDICO

Aureliano Landico Pinto nasceu aos 18 de abril de 1941. Filho de Orácio José Pinto e Maria Luíza de Castro mais conhecida como “Dona Zoca”, Landico foi um formiguense que, como tantos outros antes dele, ficou marcado na história do município. A alegria, a irreverência, o carisma e o dinamismo com que conduzia sua vida profissional lhe rendeu muitos amigos, admiradores e ouvintes. Seja nas manhãs do rádio, nas madrugadas da Feira Livre de Formiga ou nas festas agropecuárias, onde sua presença era tradição, lá estava ele animando as pessoas e dando brilho ao momento.

Quando questionado sobre até quando ele pretendia trabalhar no rádio, era taxativo: “Até os cem anos ou mais. Enquanto tiver voz, não paro. Tenho muito prazer em fazer o que faço.” E cumpriu sua palavra. Ele permaneceu ativo no rádio até quando a saúde permitiu e com a certeza do dever cumprido.

A carreira profissional de Landico começou em 1966, quando ele tinha 25 anos. Foi convidado por Antônio Leão da Silva para fazer o primeiro programa sertanejo da “Difusora Formiguense”, onde permaneceu por 37 anos. Na mesma época, surgiu a oportunidade de animar as festas do Parque de Exposições Luiz Rodrigues Belo Primo. Os primeiros artistas apresentados por ele nas festas agropecuárias foram Moacir Franco, Amado Batista, Vanderlei Cardoso, Bolinha (Clube do Bolinha), Gretchen, Roni Von, Vanusa, além das mais famosas duplas sertanejas do Brasil.

Nos 45 anos de carreira, Landico animou festas não só em Formiga, mas nas cidades cariocas de Barra Mansa e Parati e nas mineiras Bambuí, Iguatama, Arcos, Pains e Montes Claros. Como radialista, trabalhou com o saudoso jornalista Mário Murari e o radialista Ivar Salviano, da “93 FM”. O apelido de “Homem da latinha” foi dado pelo seu amigo Jaime Mendonça. “Latinha é o microfone. Jaime brincava com o radialista e dizia que quem apresentaria o programa de rádio seria o ‘homem da latinha’.

Landico também foi relações públicas e assessor de imprensa nos governos de Arnaldo Barbosa, Lufrido Nascimento de Oliveira, Jaime Mendonça e Eduardo Brás Neto Almeida. Pioneiro no serviço de carros de som, também idealizou a “Rádio Feira”. Na época, ele afirmou:“Essa experiência como comunicador foi muito satisfatória, porque conquistei ao longo deste tempo conhecimento, popularidade e vários amigos.”

A Cidade das Areias Brancas perdeu um de seus ícones mais importantes. Landico deixou a esposa Maria Célia, quatro filhos, seis netos, quatro bisnetos e três noras.

    Compartilhe

     
    Prefeitura Municipal de Formiga